Roteiros Culturais

Roteiro Vinhos de Portugal

Portugal: Terras de boas uvas. País de bons vinhos.

4 dias/desde 410€

Roteiro Vinhos de Portugal 



Terra de boas uvas, desde a ocupação da Península Ibérica pelos romanos. Com um clima ameno e com a necessidade de enviar, a Roma Imperial, uma determinada quantidade de uvas e de vinho, o cultivo dos campos deu primazia à cultura da vinha.


Desde então, transformaram-se saberes antigos, em sabores de excelência. Para tal, contribuiu na Idade Média, a presença desta cultura nas terras doadas pelos réis aos Mosteiros e a visão de Sebastião de Melo - Marquês de Pombal – ao ser pioneiro na demarcação de terras com produção de qualidade. Em 1756, o português Alto Douro Vinhateiro torna-se uma das regiões demarcadas, mais antigas, da Europa.

 

Hoje, Portugal apresenta-se destacado - como o décimo primeiro país – no grupo dos melhores produtores de vinho, a nível mundial.  Para isso, contribuem 250 espécies de uvas e 31 classificações no âmbito da Denominação de Origem Controlada (DOC) e Denominação de Origem Protegida (DOP).

 

A longa tradição e sabedoria; as distinções e prémios internacionais recebidos são razões mais do que suficientes para fazer este Roteiro de Vinhos.


Mas, como se não bastasse, acrescente-lhe as magníficas paisagens de vales e de socalcos ou vistosas planícies onde são cultivadas as uvas e produzidos os vinhos. Acrescente, também, a cultura das gentes de cada região portuguesa. Remate, com o sabor dos queijos; dos enchidos ou das finas fatias de pão regado com o bom azeite português; polvilhado com ervas aromáticas. Talvez prefira, frutadas compotas? A escolha e a degustação são suas.

 

Num Roteiro que sabe às terras de Portugal e às castas que por aqui se aprumam, propomos 4 dias de viagem em que ficará a conhecer as principais Regiões e Vinhos de Portugal.







Locais a visitar

1.º Dia - José Maria da Fonseca, Azeitão. Sesimbra. Arrábida. Évora


Começaremos pelas 9 horas e 30 minutos. Parece-lhe bem? A escolha é sua.   


A Península de Setúbal oferece-nos uma beleza muito especial: das águas do oceano Atlântico aos golfinhos no Rio Sado; da paisagem da serra às falésias sobre as praias; as pequenas baías com águas cristalinas, que nos oferecem Sesimbra e a Serra da Arrábida. O seu passado tem fortes raízes - na pesca e na cultura da vinha. Nos dias de hoje, os visitantes deliciam-se com as Tortas de Azeitão ou o famoso vinho Moscatel de Setúbal.

 

Chegados a Azeitão paramos para visitar as Caves José Maria da Fonseca.

A José Maria da Fonseca existe desde 1834. São 650 hectares de vinhas - distribuídos entre a Península de Setúbal, Alentejo e Vale do Douro – que concorrem lado a lado, com a excelência internacional.


Mas, a José Maria da Fonseca tem gosto nacional. Sabe às terras de Portugal. Sabe às castas que por aqui se aprumam, sob olhar atento da sua equipa de enólogos.


Entre os jardins e as adegas, sentimos que há uma enorme paixão na arte de bem fazer vinho. Encontramos o resultado de experiência acumulada através dos tempos. Tecnologia de última geração que acompanha o presente e as boas práticas ambientais.


Mas, sobretudo, encontrámos elegantes e equilibrados sabores ao degustar alguns dos melhores vinhos portugueses: Piriquita, Terras Altas, João Pires, Lancers, Puro Talha, Montado, entre outros. Assim como alguns vinhos generosos: o Moscatel de Setúbal; o Alambre.


Uma aventura de aromas e paladar, na Península de Setúbal. Tão perto de Lisboa!

 

A visita enaltece ainda a vila de pescadores de Sesimbra e um dos primeiros castelos de Portugal sobre o mar; assim como, o Parque Natural da Serra da Arrábida – uma autêntica muralha verdejante sobre o atlântico com pequenas enseadas de areia branca.

 

Prosseguimos a viagem até às maravilhosas paisagens alentejanas.


A pernoita será em Évora.


2.º Dia - Cartuxa, Évora. Santarém


O dia começa, às 9h 30m, em Évora, bem conhecida dos portugueses pela sua beleza, gastronomia e bons vinhos.


Nesta cidade, caminharemos entre ruas de casario baixo, com a típica palete de cores: o branco das paredes rematado com faixa ocre. Que deleite.


Mesmo antes de chegar à , do século 12, e ao Templo Romano de Diana, as arcadas que ladeiam a Praça do Giraldo oferecem várias esplanadas para usufruirmos do nosso tempo e do passeio.


Na Sé, aconselha-se uma subida aos terraços e ver como um todo a vasta planície alentejana. As suas cores verdejantes ou douradas, consoante a época do ano e os sobreiros; as famosas árvores da cortiça - Sobreiro. Há, ainda, a Igreja de São Francisco e a Capela dos Ossos para ver.


Mas, será o enoturismo da Cartuxa que o vai fazer usufruir, em pleno, das terras do Alentejo.

 

A experiência completa-se com a visita à Quinta de Valbom. Aqui, conheceremos a sua história e visitaremos o edifício onde a Adega Cartuxa foi fundada. 

Haverá também um momento de degustação de vinhos e de azeite.

A excelência no Alentejo.

 

A nossa visita continua mais a norte, em Santarém.


O miradouro das Portas do Sol sobre as águas do Rio Tejo inspiraram escritores, no passado, como Eça de Queiroz. E, muito antes disso, serviram de ponto de observação e guarda - nos tempos em que Portugal se expandia para sul e os cristãos e os mouros não chegavam a consenso, em terras de Portugal.


Nesta capital da Arte Gótica repousa o navegador português Pedro Álvares Cabral que alcançou o Brasil, por mar.  

Mostra-se ao público a Relíquia do Santuário do Santíssimo Milagre, tão procurada por fiéis católicos de todas as partes do mundo.


A escolha de hotel para pernoitar deve ser feita entre Fátima, Batalha ou Tomar.


3.º - Coimbra. Alto Douro Vinhateiro. Visita a adega. Museu do Douro


 

A nossa primeira paragem será Coimbra – a Cidade do Conhecimento, como é conhecida, desde a Idade Média.


Banhada pelo Rio Mondego é famosa pelas suas Universidade e Biblioteca Joanina; os estudantes com as suas capas negras e serenatas; o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra - onde repousa o primeiro Rei de Portugal, Afonso Henriques; a Sé Nova; a Sé Velha e o centro histórico.

 

Seguimos viagem até ao Alto Douro Vinhateiro.


Terra de paisagens verdes, no Verão e douradas no Inverno. As vertentes do Rio Douro não deixarão ninguém indiferente. Tomaremos a estrada que liga a cidade da Régua ao lugar de Pinhão, considerada pela AVIS, World Best Driving Road - melhor estrada do mundo para se conduzir!


Neste dia faremos uma visita a uma Quinta produtora de vinho e uma paragem na novecentista Estação Ferroviária do Pinhão – bem conhecida pelos seus bem cativantes azulejos alusivos às terras durienses - mais de três mil azulejos.  


Se desejar, pode ser organizado um passeio panorâmico de barco no rio, uma viagem de trem nas margens do rio ou uma visita ao Museu do Vinho do Porto.


Esta é uma das mais antigas regiões vinícolas demarcadas do mundo, e por isso, classificada pela UNESCO, desde 2001. Os trabalhos do Homem, ao moldar o vale em socalcos, transformaram o Alto Douro Vinhateiro, numa paisagem única e inspiradora para a produção de vinhos reconhecidos internacionalmente.

 

A pernoita será na cidade do Porto.

 


4.º Dia - Porto. Caves do Vinho do Porto.


Último dia do Roteiro. Já sente saudades?


Na cidade do Porto faremos um descontraído passeio dos Aliados à Ribeira em que não poderá faltar a Sé Catedral; a Torre dos Clérigos; a Rua de Santa Catarina e o seu Café Majestic; a famosa Estação de São Bento e a não menos famosa Livraria Lello. Da Igreja do Carmo não ficamos indiferentes à Fonte dos Leões. 


Atravessamos a ponte Luís I, com o olhar virado para as águas do Rio Douro e para os Barcos Rabelo. Gaia espera-nos com as suas magníficas Caves de Vinho do Porto e os mais apetitosos petiscos portugueses, no Mercado Gastronómico.


Mas será a zona ribeirinha da cidade ou “a Ribeira” como lhe chamam - em que o casario estreito e colorido desce do alto da cidade, até às águas do Douro – a mais característica, e aquela que faz percorrer esta cidade no mundo, em imagens.


Classificada pela UNESCO, em 1996, a cidade do Porto e o seu harmonioso conjunto histórico vão apresentar-lhe um rio cheio de vida, nos seus 850 quilómetros de extensão entre Portugal e Espanha e navegável, desde o Império Romano.

 

Preços por pessoa

2 PESSOAS - 560  | 4 a 8 PESSOAS - 410   | Crianças até 12 anos - 50

Informações complementares:


  • Mínimo de 2 pessoas para realizar o roteiro.
  • A duração de cada dia de passeio com visitas guiadas é de 8 horas.


Inclui


  • Transporte de passageiros e bagagem em SUV ou Van, com AC
  • 4 dias de passeio privado com serviço de guia em Português, Inglês ou Espanhol
  • Garrafa de água diária /33 cl /pessoa
  • Seguro de viagem
  • Início e final do roteiro em Lisboa, Fátima, Batalha, Alcobaça, Nazaré, Leiria, Óbidos e Tomar


Não Inclui


  • Alojamento e refeições
  • Entradas em Monumentos Nacionais ou de outra natureza
  • Despesas pessoais
  • Tudo aquilo que não está descrito na secção de Incluído